JMJ 2023

Lisboa prepara-se para receber o maior encontro de jovens católicos do mundo, as Jornadas Mundiais da Juventude em 2023

A Paróquia de Cascais vai ter uma parte activa neste evento, não apenas pela sua proximidade geográfica, que permitirá o acolhimento de jovens de todo o mundo espalhados por várias famílias e outros locais na nossa Vila, mas também com todo o apoio que é chamada a prestar nos preparativos para a mesma jornada. Desde voluntariado à ajuda financeira, conheça o que se está a preparar neste momento, fique a par dos rostos de quem organiza o Comité Local das jornadas e saiba quem deve contactar para contribuir.

 

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa.


É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja. 

O tema da JMJ de Lisboa
«Maria levantou-se e partiu apressadamente» (Lc 1, 39) é a citação bíblica escolhida pelo Papa Francisco com lema da XXVIII Jornada Mundial da Juventude que acontecerá, pela primeira vez, em Lisboa, capital de Portugal. 

Os símbolos da JMJ

A Jornada Mundial da Juventude conta com dois símbolos que a acompanham e representam: a Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus PopuliRomani. Nos meses que antecedem cada JMJ, os símbolos partem em peregrinação para serem anunciadores do Evangelho e acompanharem os jovens, de forma especial, nas realidades em que vivem.

A Cruz peregrina

Com 3,8 metros de altura, a Cruz peregrina, construída a propósito do Ano Santo, em 1983, foi confiada por João Paulo II aos jovens no Domingo de Ramos do ano seguinte, para que fosse levada por todo o mundo. Desde aí, a Cruz peregrina, feita em madeira, iniciou uma peregrinação que já a levou aos cinco continentes e a quase 90 países. Tem sido encarada como um verdadeiro sinal de fé.

A Cruz peregrina já transportada a pé, de barco e até por meios pouco comuns como trenós, gruas ou tratores. Passou pela selva, visitou igrejas, centros de detenção juvenis, prisões, escolas, universidades, hospitais, monumentos e centros comerciais. No percurso enfrentou muitos obstáculos: desde greves aéreas a dificuldades de transporte, como a impossibilidade de viajar por não caber em nenhum dos aviões disponíveis.

Tem-se afirmado como um sinal de esperança em locais particularmente sensíveis. Em 1985, esteve em Praga, na atual República Checa, na altura em que a Europa estava dividida pela cortina de ferro, e foi aí sinal de comunhão com o Papa. Pouco depois do 11 de setembro de 2001, viajou até ao Ground Zero, em Nova Iorque, onde ocorreram os ataques terroristas que vitimaram quase 3000
pessoas. Passou também pelo Ruanda, em 2006, depois de o país ter sido assolado pela guerra civil.

O ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani

Desde 2000 que a cruz peregrina conta com a companhia do ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços. Este ícone foi introduzido ainda pelo Papa João Paulo II como símbolo da presença de Maria junto dos jovens. Com 1,20 metros de altura e 80 centímetros de largura, o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani está associado a uma das mais populares devoções marianas em Itália. É antiga a tradição de o levar em procissão pelas ruas de Roma, para afastar perigos e desgraças ou pôr fim a pestes. O ícone original encontra-se na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, e é visitado pelo Papa Francisco que ali reza e deixa um ramo de flores, antes e depois de cada viagem apostólica.

Peregrinação dos símbolos da JMJ pelas dioceses portuguesas

Os dois símbolos da JMJ iniciaram a sua Peregrinação pelas dioceses Portugueses em Novembro de 2021, no Algarve. Desde então já passaram por Beja, Évora e Portalegre-Castelo Branco.

Os símbolos chegam à Diocese de Lisboa em Julho de 2023.

O COL, COD, os COVs e os CODs

Neste percurso até à JMJ, vamos conhecendo alguns núcleos organizativos que estão encarregues de dinamizar e mobilizar os jovens nesta caminhada.

Como já referiu o nosso Cardeal Patriarca, temos de nos começar a familiarizar com algumas siglas, entre elas o COL (Comité Organizador Local), o COD (Comité Organizador Diocesano), os COVs (Comités organizadores Vicariais) e os COPs (comiteés organizadores Paroquiais).

Aqui, na vigararia de Cascais, existem vários COPs que estão já a funcionar e a preparar atividades e eventos que vão ter início já este mês e no decorrer de Março em vários locais da Vigararia.

A cruz do COD na Vigararia de Cascais

Porque os símbolos da JMJ só chegam à diocese de Lisboa em Julho de 2023, O Comité Organizador Diocesano (COD) escolheu a cruz da JMJ como símbolo que, até àquela data, irá peregrinar pelas 18 vigararias da Diocese, com o objetivo de ir despertando as comunidades para o caminho de preparação para a JMJ.

A cada dia 23, a cruz do COD muda de vigararia e durante um mês visita as Paróquias da mesma, proporcionando momentos de oração, de evangelização e encontro com várias dinâmicas dos CODs locais. 

A cruz do COD na nossa Paróquia

A Cruz do COP chega à Vigararia de Cascais no dia 23 de fevereiro e à nossa Paróquia no dia 18 de março. Vai ser recebida na noite de oração das Equipas de Jovens de Nossa Senhora, às 21h30, de quinta-feira, e depois percorrerá algumas escolas da freguesia, passará pelo grupo de escuteiros e ficará connosco até domingo.

Para celebrar a passagem destes símbolos que se destinam a animar e congregar as comunidades em torno da Jornada Mundial da Juventude, haverá um concerto na sexta-feira à noite, no Centro de Congressos do Estoril, onde atuará a Banda Quatro e Meia. No sábado, a cruz estará no Arraial da JMJ que será à hora do almoço e ao final do dia, pelas 18h, acompanhará a oração do terço que será feita junto à estátua do Papa João Paulo II, no jardim da Igreja Paroquial. No domingo, marcará presença na missa das 10h, na tenda, e à tarde acompanhará os jovens pelo paredão de Cascais, numa caminhada rumo ao Estoril.

Junta-te a esta festa!

Comité de organizadores paroquial (COP)
Francisco Torgal

O COP coordena toda a ação do que é necessário na geografia da paróquia, fazendo a ligação entre as necessidades da organização e as disponibilidades paroquiais. Ajuda na coordenação dos diferentes grupos e pessoas envolvidos para uma ação concertada.

Chefe dos Voluntários
Joana Palma

O Chefe dos voluntários coordena todos os que se disponibilizam para ajudar no evento das jornadas ao nível da paróquia.

JMJ 2023

Avisos

Últimos Vídeos

Missa
7 Março

Documentos

RITUAL DO CRISMA

Dentro da missa

FICHA DE INSCRIÇÃO

Baptismo